PROIBIDO PARAR E PROIBIDO PARAR E ESTACIONAR

terça-feira, 20 de março de 2018 Karine Winter






Você sabe a diferença entre estas duas placas que falam sobre estacionamento?  A primeira placa de regulamentação, com as duas faixas vermelhas, refere-se à proibição de parar e estacionar e a proibição de embarque e desembarque com seu veículo no local em que ela estiver implantada. A segunda, que possui só uma faixa do lado esquerdo, determina que é proibido estacionar no local, mas é permitido o embarque e o desembarque.

A pedagoga do FUMTRAN, Karine Winter, explica a diferença entre parada e estacionamento, que gera dúvida em alguns motoristas. “A parada é a imobilização do veículo com a finalidade e pelo tempo, estritamente necessário, para efetuar o embarque ou o desembarque de passageiros. Qualquer outra situação é considerada estacionamento. É muito comum, quando estão esperando por outras pessoas, os condutores terem a ilusão de que estão parados, pois haverá um embarque”, explica ela.

Importante ressaltar que de acordo com o Manual Brasileiro de Sinalização, não há necessidade dessas placas estarem colocadas no início e no fim do trecho, pois podem causar poluição visual e muitas vezes confundir os motoristas. Portanto, a sinalização tem validade ao longo do trecho da via que está sinalizada.

Os condutores devem ficar atentos e respeitar o Código de Trânsito Brasileiro. Quem estacionar em desacordo com a regulamentação especificada pela sinalização, acumulará cinco pontos na sua CNH, e precisará desembolsar o valor de R$195,23, estando ainda sujeito à medida administrativa de remoção do veículo, de acordo com o Art. 181 do CTB, inciso XIX, que fala sobre estacionar em locais e horários de estacionamento e parada proibidos pela sinalização.

FONTE: http://www.balneariocamboriu.sc.gov.br/imprensa/noticia.cfm?codigo=21635

DICAS DE SEGURANÇA NO TRÂNSITO NA VOLTA ÀS AULAS

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018 Karine Winter


                    



  •  Caminhe sempre pela calçada. A rua é o local de circulação de veículos e não de pedestres;


  •  A calçada é  o local mais seguro para o pedestre circular. Porém, fique atento  quando passar por  entradas e saídas de garagens e quando estiver andando por locais muito movimentados;


  • Se na saída da escola, você estiver esperando por  pais ou pelo ônibus, espere na calçada. Nada de sair correndo, quando eles chegarem;


  • Deixe para fazer brincadeiras e competições  em casa ou nos horários adequados dentro da escola. A rua é um local onde você deve estar extremamente atento. Qualquer distração pode provocar um acidente;


  • Procure atravessar a rua na faixa de pedestres e, quando não houver, atravesse em linha reta,  olhando várias vezes para os lados para ter certeza de que não está vindo nenhum veículo;


  • Evite atravessar a rua em esquinas, curvas ou atrás dos veículos. É importante que você veja os carros e que o motorista também possa ver você;


  • ·       Se você usa a “bike” para ir à escola, lembre-se de pedalar na ciclovia ou na ciclofaixa e, se não tiver, pedale sempre pelo lado direito da rua, próximo à calçada;


  • ·      Nunca aceite carona,  presentes, balas ou doces de pessoas que você não conhece. Não dê papo para pessoas estranhas;


  •  Para andar na garupa da moto, lembre-se de que você deve ter pelo menos 7 anos de idade ou alcançar o pedal de apoio; usar capacete que fique bem firme na sua cabeça e com a cinta jugular bem afivelada;


  • Cinto de segurança deve ser usado por todos, tanto nos bancos da frente, quanto no banco de trás. Dependendo do peso e da altura, é necessário   utilizar o  bebê conforto, cadeirinha ou assento elevatório;


  • Senhores Pais, deem o exemplo para seus filhos. Educação, cidadania, ética e respeito se aprende em casa. Não pare em fila dupla, nem estacione sobre a  calçada;


  • Ao contratar o transporte escolar para seu filho, verifique se o motorista possui a carteira municipal de condutor, emitida pelo Fumtran. Ela lhe dará a garantia de que ele tem as credenciais necessárias para realizar o transporte de seu filho. Verifique se a van possui o selo vermelho na traseira e na frente da van;


  • Ao levar ou buscar seu filho a pé, segure-o pelo punho e não pela mão. Se você segurá-lo pela mão, será mais fácil escapar. O adequado é segurar no punho;


  • Respeite as vagas especiais. Não estacione em local exclusivo para idosos e deficientes.


Imagem: http://dfempauta.com.br/wp/2018/01/31/cuidados-de-transito-nas-volta-a-aulas/

  

FERIADÃO & TRÂNSITO

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018 Karine Winter




Já é sabido que o feriadão de carnaval movimenta o turismo de várias regiões do país. Praias, a indústria hoteleira, bares, restaurantes e também o trânsito tem aumento considerável.
O fluxo de veículos em nossas rodovias e estradas, aumenta  e os riscos de acidentes com óbitos e sequelas, também.
Para que todos possam curtir a maior festa brasileira de forma saudável e com muita alegria, é necessário lembrarmos que a conscientização, o respeito às leis de trânsito e a prudência, devem fazer parte do repertório neste carnaval.
Ultrapassagens indevidas, excesso de velocidade, falta dos equipamentos de segurança como: capacete, cinto de segurança, cadeirinha para as crianças, entre outros, aumentam o risco de gravidade nos acidentes.
Além da bebida alcoólica é claro, que aliada a direção veicular é um fator bombástico para provocar acidentes, entre os quais os atropelamentos.
Pedestres devem estar bem atentos neste feriadão, já que o fluxo de veículos se intensifica. Atravessar preferencialmente na faixa de pedestres, observando se todos os veículos realmente pararam, andar sempre pela calçada estando bem atento, são boas dicas para quem circular a pé. A fiscalização aumentará por conta do alto consumo de bebidas alcoólicas, que normalmente é registrado nessa época do ano.
Porém, mais do que contar com a fiscalização, precisamos contar com nosso senso crítico, que nos limita e nos orienta a evitar o que fere a nossa segurança e a dos demais que circulam no trânsito.

“Faça sempre a revisão do seu veículo antes de viajar, programe sua viagem para que ela ocorra de forma tranquila e para viajar preferencialmente nos horários de menor movimento nas rodovias. Lembre-se que manusear o celular enquanto dirige, sujeita o condutor a multa. Então nada de usar o celular enquanto estiver no volante.  Se ingerir bebida alcoólica, em qualquer quantidade, lembre-se que não há a menor possibilidade de você dirigir. A partir do momento em que a bebida entra em contato com a saliva e com a mucosa da boca, ela já começa a ser absorvida pelo organismo  e a graduação alcoólica já estará presente na corrente sanguínea, provocando alterações motoras e mentais que ocasionam a falta da percepção do risco. É por isso que o condutor alcoolizado geralmente se arrisca em ultrapassagens indevidas e em manobras arriscadas. Fica a dica e vale cumprir a lei: Se beber não dirija”, alerta Karine Winter. 


Imagem Fonte: http://www.itapolis.sp.gov.br/portal4/index.php/secretarias-e-orgaos/departamento-de-transito/2593-a-alegria-do-carnaval-nao-deve-tirar-a-atencao-no-transito 

CLASSIFICAÇÃO DAS VIAS, DE ACORDO COM O CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018 Karine Winter







SENHORES TURISTAS, SEJAM BEM-VINDOS! MAS, LEMBREM-SE QUE: NESTA CIDADE TAMBÉM SE TRABALHA.

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018 Karine Winter




Portanto, mantenha-se sempre na faixa da direita, quando estiver em baixa velocidade. Deixe a pista da esquerda livre, para quem precisa passar e imprimir uma velocidade maior (compatível com a via).
Estacione de acordo com a regulamentação. Locais não permitidos ou em desacordo com a sinalização local, sujeitam você a ser autuado. Evite desconforto!
Dê a preferência ao pedestre que aguarda na faixa.
Respeite as cores do semáforo. O amarelo significa atenção e não “corra que é possível atravessar.”
Pedestres também têm deveres: aguardem o sinal verde do semáforo para pedestres. Quando não houver, só atravesse se o sinal estiver vermelho para os veículos.
Ciclistas utilizem a ciclovia ou ciclo faixa. Quando não houver, pedale no sentido nos veículos, no lado direito da pista e próximo do meio-fio.
Enquanto você se diverte, curte suas férias, as belezas e o encanto das nossas
praias e de toda a região, a cidade trabalha e se abastece para que você e sua família sejam bem recebidos.
Temos horário para cumprir. Trabalhos a fazer. Não "empate" o trânsito, dê a vez quando possível. Enfim... colabore para que possamos bem servi-lo

Obs: as dicas se destinam não só aos turistas, mas aos moradores e prestadores de serviços também. A convivência harmoniosa no trânsito depende de todos nós.



E VIVA O VERÃO!

LEI 13.546/2017 TRAZ "MICRO" ALTERAÇÕES PARA O CONDUTOR QUE DIRIGIR EMBRIAGADO E PRATICAR CRIME DE TRÂNSITO.

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017 Karine Winter







FONTE: http://jc.ne10.uol.com.br/blogs/deolhonotransito/2017/12/24/nova-lei-para-quem-mata-no-transito-sob-efeito-de-alcool-avancamos-de-fato/

MATERIAL EDUCATIVO PARA AS CRIANÇAS

Karine Winter





Seja como pedestre, caroneiro, passageiro, skatista ou ciclista, circular no trânsito exige responsabilidade e muita atenção. Por isso, a Turma da Mônica, resolveu participar de uma aula muito interessante, para aprender tudo o que precisava, para andar de forma segura.



  Acesse o conteúdo AQUI

FÉRIAS E FESTAS DE FINAL DE ANO, DICAS PARA VIAJAR COM SEGURANÇA E TRANQUILIDADE

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017 Karine Winter





Assista ao vÍdeo AQUI

A DIFERENÇA ENTRE INFORMAR E EDUCAR PARA O TRÂNSITO

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017 Karine Winter




(...) Nós educadores devemos apenas tomar cuidado com a confusão entre “Educar” e “Informar”. Levar ao conhecimento dos alunos somente as leis e regras de trânsito não é suficiente, pois sabemos que as causas de acidentes não são, em sua maioria, a ignorância da legislação e sim a imprudência tanto de motoristas quanto de pedestres.
Devemos compreender desde pequenos que a vida é nosso bem maior e para isso a Educação de Trânsito, não pode ser vista apenas como mais uma disciplina, ela precisa ser sentida, fazer parte do cotidiano da escola. Considerando-se que a criança incorpora conceitos tendo como modelo o adulto, é muito importante que os pais e educadores adotem comportamentos seguros dentro e fora de casa para que sirvam de exemplos para as crianças.¹

Inconcebível que depois de tantos anos fazendo Educação Para o Trânsito em nosso país - uns ainda façam apenas ações pontuais durante o Maio Amarelo ou na Semana Nacional de Trânsito - gestores, educadores e especialistas na sua grande maioria ainda apenas informam para o trânsito.
O trânsito é dinâmico e é composto por diversos atores - pedestre,  ciclista, condutor, passageiro, caroneiro -  todos precisando "ser educados no trânsito". Informar ainda é muito restrito para as mudanças que precisamos  ver no quadro de estatísticas e tragédias do trânsito. Tudo sempre abordado de forma superficial e teórica. 

Que tal nos preocuparmos com uma aprendizagem significativa no trânsito?
Que tal sensibilizarmos as pessoas para que sejam "tocadas" e, à partir disso, mudem significativamente seus comportamentos? Que tal relacionarmos os conhecimentos empíricos aos conhecimentos científicos, para produzirmos as reais mudanças que necessitamos?

Me parece que ainda estamos mergulhados na Teoria Behaviorista, na qual  Watson nos diz que o homem é um organismo que responde à estímulos exteriores e  de forma mais ou menos automática à eles. Watson  entende que a aprendizagem é uma forma de condicionamento. Afinal,  respeitamos - e quando respeitamos - as regras e normas para não sermos punidos no trânsito. 

Reproduzir os conteúdos abordados durante o processo de habilitação de condutores nas escolas para alunos do Ensino Fundamental, é  como abordar
os tópicos de Direito trabalhista ao invés de trabalhar os fundamentos, os direitos e os deveres dos trabalhadores, para um público leigo.

Será que crianças e adolescentes precisam saber os conteúdos de legislação de trânsito? E pior, para cobrar dos pais ou “lembrá-los” que precisam cumprir as regras e as leis? Infelizmente entramos aqui, no universo da inversão de valores, onde filhos educam os pais.

O que temos abordado quando tratamos de Educação Para o Trânsito?

Mais do que abordar a segurança no trânsito, precisamos abordar também as questões pertinentes à cidadania, à construção de valores e à posturas éticas perante a vida e na convivência nos espaços públicos.

Que sociedade queremos? Estamos informando ou educando para o trânsito?




MULTAS PARA PEDESTRES E CICLISTAS? SERÁ QUE VAI FUNCIONAR?

quinta-feira, 23 de novembro de 2017 Karine Winter




À partir do final do mês de abril/2018, começarão a valer as novas multas para pedestres e ciclistas. De acordo com o DENATRAN, pedestres e ciclistas são as peças mais frágeis do trânsito, mas também, tem responsabilidades e regras a cumprir, para evitar acidentes. 


O CTB - Código de Trânsito Brasileiro - cita no seu Art. 29, Capítulo XIII, § 2º que "Respeitadas as normas de circulação e conduta estabelecidas neste artigo, em ordem decrescente, os veículos de maior porte serão sempre responsáveis pela segurança dos menores, os motorizados pelos não motorizados e, juntos, pela incolumidade dos pedestres." 

As regras já estavam previstas no Código de Trânsito Brasileiro no Art. 254, desde 1997, mas não havia regulamentação para que fossem colocadas em prática.

A grande dúvida que gera discussões e opiniões diversas é: Será que as multas irão funcionar?

A princípio, a primeira preocupação é de que, de acordo com o vocabulário jurídico, que isto não vire "letra morta." Ou seja, que isso não seja mais uma Resolução com prazo prorrogado (afinal, desde 1997, já se passaram vinte anos).

A segunda é de que, como será a fiscalização? De acordo com a regulamentação publicada, serão autuados pedestres e ciclistas através de seu número de CPF. E quando houver recusa em fornecer o número do documento ou de qualquer tipo de identificação? Como procederá o Agente da Autoridade de Trânsito?

Estes são questionamentos que não podemos deixar de fazer, já que estamos habituados a determinações e resoluções que muitas vezes são impraticáveis e acabam sendo revogadas. Fica aos municípios a incumbência de treinar os agentes fiscalizadores para que saibam como agir de forma eficiente e eficaz, para não gerar a sensação de impunidade quando o mês de abril chegar.





Fonte do Infográfico: https://g1.globo.com/carros/noticia/pedestres-e-ciclistas-poderao-ser-multados-a-partir-de-2018.ghtml

Imagem: https://diariodamobilidade.wordpress.com